segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Nostalgia


Os devaneios de sábado à noite levaram-me a conclusão de que sou preenchida por saudade – diretamente do vigésimo sétimo andar de um arranha-céu na cidade das luzes –, sou preenchida por saudade e algumas expectativas frustradas de ser feliz. Não me entenda mal, não gosto de extremismos e bem sei que a infelicidade é quase inatingível pros meus vinte poucos anos. De fato sou feliz com meus dois gatos persas, minha estante de livros e minhas doses matinais de cafeína, diria até que posso tocar as estrelas daqui de cima, mas você sabe que elas não me bastam.

Quero voltar praquela cidade, sentir meus pés tocarem aquele chão. Quero voltar pro aconchego do interior e pros rostos que há tanto não toco, não sinto, não vejo. Quero respirar ares tropicais por entre vielas que me levam a lugar nenhum, sentar num banco familiar meia noite à luz da lua e jogar conversa fora no balcão daquele bar. Quero apreciar a arquitetura clássica da casa que me viu crescer, sentir os braços de quem muito me amou, comer o bolo da minha avó: sabor infância com cobertura de chocolate, que só aquelas mãos sabiam fazer.

Quero sentar no telhado da tua casa e falar sobre futilidades descartáveis, ouvir o timbre suave da tua voz, o som do teu violão que me canta palavras sinceras. Quero me perder nas entrelinhas dos teus versos e cantar o refrão mais bonito da tua canção mais nova. Quando o som das cordas cessarem quero sentir seus dedos passearem pelos meus cabelos claros, sentir o cheiro do teu perfume e olhar nos teus olhos azuis, esses pedacinhos de céu que um dia me viram partir.

Quão lindo seria reviver o palpitar acelerado do meu coração. Mas enquanto não temos a peripécia de inventar uma máquina do tempo, que o mesmo me perdoe caso seja inoportuno, se parecer loucura ou utopia, que me perdoe por querer voltar. É que talvez as lembranças sejam mais bonitas da janela do vigésimo sétimo andar.



2 comentários:

Juliana Bittencourt disse... [Responder]

Estou apaixonada pelo seu blog, seus textos, o jeito como você escreve, virou um dos meus blogs favoritos.

Bruna Mascarenhas Santos disse... [Responder]

@Juliana Bittencourt Tem coisa melhor que ler isso? É o melhor retorno que eu posso receber pelos textos. Espero que você continue companhando o blog, e obrigada Juliana, de coração!

Postar um comentário